Monthly Archives: agosto 2016

Fabiano e Jimmy

Conheci meu melhor amigo a dois anos. Em uma viagem vi um cachorrinho de pelúcia e desde então voltei para o Brasil louco para ter ele. Não demorei muito para encontrar essa fofura. Aquele bichinho de pelúcia agora anda e faz tudo comigo…o nome dele é Jimmy.

Sandra e Zulcker

Sou Sandra Moreira e esse é Zucker, buldogue Frances,
super companheiro que nos deixou e agora é uma estrelinha!!
Amor para todo sempre! Que me inspirou a ser o que sou hoje!
Organizadora e eventos Pet!! Aumigos Brasil!!
Revista Bichos S/A super sensacional em suas matérias e carinho com publico!!

PROCURA-SE O MICKEY

Pessoal,

O Mickey desapareceu no dia 07 de agosto. Vamos ajudar ele a voltar para a casa?

Compartilhem e ajudem a divulgar.

 

Gato morre atropelado na Terceira Ponte, entre Vitória e Vila Velha

Testemunhas contaram que animal foi jogado de carro em movimento.
Rodosol disse que vai enviar imagens do fluxo de veículos às autoridades.

Fonte: G1

Um gato morreu atropelado próximo ao vão central da Terceira Ponte, que liga Vitória e Vila Velha, no Espírito Santo, na tarde deste domingo (7).

Testemunhas contaram que o animal foi jogado para fora de um carro em movimento. O crime chocou motoristas que passavam pela Terceira Ponte.

A professora Luciana Brunhara Biazati passava pelo local na hora. “Eu vi o gatinho vivo na altura do vão central. Tentei parar o carro, mas não consegui. Os carros atrás de mim estavam em alta velocidade”, conta Luciana.

A assessoria de imprensa da Rodosol, concessionária que administra a via confirmou que o gato  foi resgatado por uma equipe de atendimento, mas que já estava sem vida.

A Rodosol informou que vai checar as imagens do fluxo de veículos e enviá-las às autoridades competentes.

Praticar maus-tratos a animais é crime previsto no artigo 32 da Lei de Crimes Ambientais, e pode gerar pena de três meses a um ano de detenção, além de multa.

PROCURA-SE

Ajude a ajudar compartilhando esta imagem. Qualquer informação, entre em contato com o número da imagem.

Especialistas dão dicas sobre como cuidar da saúde de animais obesos

Com a chegada das estações mais frias, os tutores de cães tendem a praticar menos exercícios com seus animais, o que pode gerar uma maior conversão calórica nos animais. Estudos recentes mostram estimativas de que por volta de 40% dos cães e gatos estão obesos, principalmente os animais domiciliados em apartamentos. Assim como nos humanos, a obesidade pode causar grandes problemas na saúde do animal e é uma doença que vem tomando espaço no dia a dia dos animais.

Por isso, a COMAC (Comissão de Animais de Companhia), do SINDAN (Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal), representada pelo Dr. Mauri Moreira, coordenador da instituição, e pela Dra. Fernanda Cioffetti, gerente de Marketing da Agener União, empresa associada à COMAC, preparou algumas dicas para você ficar de olho no peso do seu animal doméstico:

Visite um médico veterinário com frequência
O veterinário é o profissional mais adequado para verificar se o peso do seu cachorro ou gato está ideal à sua idade e raça. Cada espécie possui especificidades que interferem na saúde do animal, por exemplo, a obesidade canina caracteriza-se quando um animal apresenta mais de 15% de excesso de peso.

Incentive o animal a fazer exercícios
A prática de exercícios é recomendada em todas as idades. Passeie com o animal e procure por brincadeiras que ele possa liberar energia, como bolas ou discos. Mas, lembre-se de adequar a intensidade do exercício conforme o limite físico do animal. Ouça sempre a recomendação de um médico veterinário.

Alimentação de forma balanceada
Ofereça sempre alimentos indicados para a espécie do animal, como também de acordo com a raça e condição de vida. Lembre-se que para chegar ao mercado, o produto passou por vários testes e leva em consideração a espécie, o porte e os nutrientes necessários para cada animal. Se o seu cão ou gato já tem propensão para ganhar peso, evite snacks e petiscos.

Fonte: ANDA

Ibama intensifica fiscalização em portos e aeroportos do país

Com o início dos Jogos Olímpicos, a segurança dos voos internacionais está sendo redobrada. O Ibama também faz parte do sistema de monitoramento que começou no dia 1º deste mês sobre os mais de dois mil embarques e desembarques previstos durante as Olimpíadas.

O número de agentes de fiscalização nos aeroportos que fazem parte do circuito olímpico foi reforçado pelo Ibama, a fim de monitorar o ingresso e a saída de plantas, animais e substâncias que ameacem o meio ambiente ou degradem a biodiversidade brasileira.

O Ibama atua para coibir o tráfico de animais silvestres, o transporte de espécies da nossa flora, o tráfico de substâncias químicas, bem como o porte de artefatos protegidos, como adornos indígenas, ossos, dentes, penas, quadros de borboletas, entre outros.

A operação do Ibama seguirá até setembro, quando se encerram os Jogos Paralímpicos, nos aeroportos e, também, no Porto do Rio, já que são previstos cerca de um milhão de viajantes durante os Jogos.

O coordenador-geral de Fiscalização Ambiental do Ibama, Jair Schmitt, ressalta a importância da operação. “Em um evento deste porte, com pessoas de 205 países, precisamos evitar prejuízos ao meio ambiente. Entre eles, destacam-se os danos à nossa fauna e flora, como a introdução de uma espécie exótica que possa ameaçar os ecossistemas e as espécies nativas, ou o tráfico da biodiversidade brasileira para uso em pesquisas ou mesmo para o desenvolvimento de produtos no exterior”, diz.

É fundamental que os órgãos de proteção ambiental do país estejam atentos para qualquer tipo de dano ao nosso meio ambiente. Existe uma rede sofisticada de corrupção que envolve o comércio ilegal de espécies em risco de extinção, e um evento como as Olimpíadas pode atrair muitos criminosos para o país interessados nos nossos bens naturais.

Fonte: Green Me

Adoção de animais – PATAS CARENTES ONG

Adotar é tudo de bom! Adote um amigo!

Aqui tem as informações sobre os animais que estão no slide, com o número correspondente a foto.

1- Macho, filhote, vacinado e vermifugado.
Interessados ligar para Elayne 28 99938-5272.

2- Fêmea, tem 8 meses, vacinada e vermifugada.
Interessados ligar para Elayne 28 99938-5272.

3- Fêmea, adulta, vacinada e vermifugada.
Interessados ligar para Elayne 28 99938-5272.

4- Macho, porte grande, vacinado e vermifugado.
Interessados ligar para Deise 28 99919-7777.

5- Fêmea, porte pequeno, vacinada e vermifugada.
Interessados ligar para Deise 28 99919-7777.

6- Fêmea, porte grande, castrada, vacinada e vermifugada.
Interessados ligar para Deise 28 99919-7777.

7- Macho, porte grande, vacinado e vermifugado.
Interessados ligar para Deise 28 99919-7777.

8- Fêmea, muito dócil, pequeno porte, vacinada e vermifugada.
Interessados ligar para Ritieli 28 99925-0570.

9- Macho, vacinado, vermifugado.
Interessados ligar para Amábile 28 99902-2905.

10- Macho, vacinado e vermifugado.
Interessados ligar para Janine 28 99923-1726.

11- Macho, vacinado e vermifugado.
Interessados ligar para Janine 28 99923-1726.

12- Macho, castrado, vacinado e vermifugado.
Interessados ligar para Janine 28 99923-1726.

13- Fêmea, vacinada e vermifugada.
Interessados ligar para Janine 28 99923-1726.

14- Fêmea, vacinada e vermifugada.
Interessados ligar para Janine 28 99923-1726.

15- Macho, vacinado e vermifugado, 7 meses.
Interessados ligar para Viviane 28 99984-6081.

Mais informações em: https://www.facebook.com/Patascarentesongcastelo/?fref=ts

PATAS CARENTES

Somos uma OSCIP, fundada em 10 de abril de 2013 “ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO PARA PROTEÇÃO DE ANIMAIS ABANDONADOS E MALTRATADOS DENOMINADA PATAS CARENTES”, conhecida pela população castelense como “Ong Patas Carentes”.

Nossa sede administrativa está na Av. Nossa Senhora da Penha n.121, Ed.Vila Lobos, 1º piso, sala 06, Centro, Castelo/ES.

Resgatamos cães e gatos em situação de risco: animais de rua doentes, maltratados, acidentados, fêmeas de rua com crias em áreas de risco. Ainda não possuímos um abrigo para os animais resgatados. Atualmente nossos animais ficam nos lares provisórios de voluntários.

Os animais resgatados são atendimentos por veterinários, vermifugados, vacinados, medicados conforme a necessidade de cada animal, alguns passam por cirurgias de emergência, e são castrados dentro da nossa possibilidade econômica.

Importante informar, que não recebemos nenhuma ajuda governamental, custeamos os animais com doações, venda de rifas, bazar mensal etc. Em 22/05/2014 através da Lei Municipal Nº 3.469, fomos reconhecidos de real utilidade pública no município.

TRABALHAMOS NA PESPECTIVA DE MOSTRAR A SOCIEDADE QUE É POSSÍVEL UMA CONVIVÊNCIA HARMONIOSA ENTRE HUMANOS E ANIMAIS, e que humanos e animais tem direito a uma vida digna.

Saiba mais sobre esse trabalho em: https://www.facebook.com/Patascarentesongcastelo

 

Meu cão tem ânsia de separação. Como faço para que ele aceite ficar só quando saio de casa?

Por: Leonardo Tschaen

Primeiro é preciso saber que o cão é um animal social, portanto tem a necessidade de viver em matilha e fica inseguro e infeliz quando está só, mesmo quando não apresenta sintomas aparentes.

A primeira dica é ter dois cães, pois dessa forma ele não ficará sozinho quando você sair, porém se o animal estiver com fobia vão persistir os sintomas: comportamentos destrutivos, micção e defecação em locais impróprios, vocalizações excessivas (latidos, uivos e choro), depressão, anorexia (perda do apetite), adipsia (ausência de sede) e salivação excessiva.

Parece impossível ensinar o cão a aceitar o isolamento, pois não estamos em casa, é claro, neste momento. Por isso é que fazemos primeiro um trabalho presencial e fazemos o isolamento total somente quando ele estiver adaptado a todas as situações antecessoras.

Para facilitar o aprendizado é preciso ensiná-lo a aceitar a separação apenas pela distância, mas sem sair do campo de visão, que neste caso deve ser feita de forma progressiva: com o cão preso pela guia (1, 2, 4, 8 metros), soltando a guia quando retornar, mas sem dar atenção.

A próxima fase do treinamento consiste em alimentar o cão em um cômodo fechado e soltar assim que ele terminar de se alimentar, e gradativamente aumentar o tempo antes de abrir a porta. Durante a evolução desse processo de confinamento, muitos cães começam a emitir os comportamentos típicos da fobia; se estes forem silenciosos, é necessário aumentar o reforço positivo trocando a comida por petisco e diminuindo o tempo de espera, porém, se o cão vocalizar ou tentar arranhar a porta, é necessário um reforço negativo para ele parar.

Neste caso, pegar na nuca do cão o máximo de pelo que conseguir e chacoalhar até ele sentir a pressão, então repetir o procedimento até que ele fique quieto com a porta fechada e, então, o soltamos imediatamente. Importante saber que, uma vez iniciado o treinamento, o cão não pode ficar só até que esteja totalmente adaptado; do contrário, ficará ainda mais difícil treiná-lo.

Algumas atitudes que você pode fazer para auxiliar e facilitar o aprendizado são: fazer o treinamento de obediência, pois além de ser necessário para todo cão viver melhor na sociedade, os comandos (fica, senta, deita) ajudam no auto controle do cão. Não pegar o cão no colo quando ele estiver com medo de alguma coisa, nem mesmo fazer carinho. Sair o quanto antes de casa sem criar uma rotina (se quiser ligar o rádio ou deixar brinquedos, faça duas horas antes); alimentar o cão quando ele estiver só e não quando você chegar a casa; passear no mínimo duas vezes por dia (de 30 a 40 minutos), se possível antes de você sair de casa. Ao chegar a casa, só dê atenção ao cão depois que ele se acalmar. Avalie a possibilidade de deixá-lo numa creche de animais.

O auxílio de um adestrador profissional é recomendado para treinar o seu cão nesse caso, mas vale a pena ensiná-lo, pois mesmo que ele tenha uma rotina com pessoas por perto no dia-a-dia, ele pode precisar ficar preso por necessidade de força maior, por exemplo, numa viagem de avião ou se tiver que ficar internado num hospital veterinário.