DR. VET RESPONDE

Ah, o verão!

Dr. Vet Responde

 

Neste artigo da Bicho SA, tenho o prazer convidar um grande profissional do segmento, para dar dicas de verão nesta coluna. Com vocês: Dra. Ivie Amorim, responsável pelo setor de Dermatologia da Pet Stop!!
Na próxima edição, eu volto!
Att. Dr. Tanure

E chegou a estação mais gostosa do ano, não é? Praia, sol, mar e muita diversão… Mas verão não é só alegria, ele traz uma série de conseqüências para o seu pet e devemos ficar atentos para o bem estar deles.
HIDRATAÇÃO: o cuidado é redobrado nesta época do ano! É importante ter sempre disponível água limpa e fresca. Se o peludo fica sozinho em casa por um período prolongado, espalhe vasilhas de água em áreas mais frescas da casa. Durante os passeios, ofereça água ao animal a cada 30 minutos, para evitar desidratação.

PASSEIO: evite passeios nas horas mais quentes do dia. O ideal são passeios no período da manhã, até as 10h, ou à tarde, depois das 17h. Teste sempre a temperatura do solo. Se você não suportar ficar com os pés no chão por alguns segundos, seu cão também não vai suportar e ele sofrerá queimaduras nos coxins (almofadinhas).
PASSEIO DE CARRO: nunca deixe seu animal sozinho dentro do carro, mesmo que seja com vidro aberto e/ou por um período curto de tempo. A temperatura se eleva muito rápido e pode levar seu animal a hipertermia (aumento da temperatura corporal).
ALIMENTAÇÃO: em dias mais quentes, é normal que seu animal tenha menos apetite que o habitual. Uma sugestão é escolher horários mais frescos do dia para a oferta da comida.
BANHO E TOSA: animais com pelos longos tendem a sentir muito mais calor, então, a tosa refresca o animal e facilita o banho. Não banhe com água quente, nem utilize o secador na temperatura máxima. No caso dos gatos, só tose se o animal já for acostumado, pois pode ser traumático para o seu bichano. Na hora do banho, observe se há presença de pulgas e/ou carrapatos, possíveis lesões por picadas, áreas avermelhadas pelo corpo ou mesmo hematomas. Nesses casos, procure um veterinário para fazer a indicação de antiparasitários e de exames de sangue, se necessário.

Ivie Amorim
Médica Veterinária
CRMV-ES 985-ES
Clinica Geral e Dermatologia

Saiba a importância das vacinas

Hoje iremos falar brevemente sobre a importância de manter as vacinas dos animais em dia, assim como o controle parasitário.

Nossos amigos precisam gastar energia diariamente, não é mesmo? Os passeios ao ar livre são atividades recomendadas e trazem muitos benefícios aos pets. Mas caminhar ou correr por bairros, ruas, praças, orlas e jardins externos significa estar exposto a uma série de “ameaças”, que podem resultar em doenças. Até mesmo a presença de outros animais é um risco para o bichano.

Por isso, para evitar riscos, é fundamental manter o animal vacinado, de acordo com as recomendações veterinárias. O seu bichinho está com o cartão de vacina em dia? Qual foi a última vez que ele foi vacinado? Você tem tudo registrado?Sabe quais as novidade do mercado que contribuem para prevenir doenças de pets?

Se, por algum motivo, você não tem certeza sobre as vacinas tomadas por seu pet, procure por um médico veterinário de sua confiança e atualize a situação do animal. Isso é muito importante, afinal, ele estará imunizado e você poderá ficar tranquilo!

Vermifugação: por quê ela é tão importante!

Fui perguntado várias vezes sobre a importância de se vermifugar os animais e a frequência com que se deve fazê-lo.Sendo assim, resolvi abordar esse tema na nossa primeira coluna de forma prática e simplória.

A importância de se vermifugar os cães se dá por dois principais motivos: saúde dos nossos “filhos de pelo” e a  nossa saúde, pois alguns  parasitas (Vermes) fazem tanto mal aos animais como aos seres humanos.

Os principais  Vermes encontrados nos cães são:  “redondos” e “chatos”. A contaminação pode acontecer por via oral (ingestão de ovos, oocistos ou larvas infectantes), via percutânea (penetração ativa das larvas pela Pele), via intrauterina (através da placenta, contaminando o filhote ainda na barriga da mãe) e por via galactogênia (filhote é contaminado através do leite da mãe).

Principais sintomas:

Os principais sintomas que devem ser avaliados por um profissional para diferenciação de outras doenças são:

Animal com a barriga abaulada; (É comum o proprietário achar que seu animalzinho esteja gordinho.);

Olhar triste;

Animal arrasta o “bumbum no chão”;

Magreza;

Fezes moles, com sangue;

Presença de vermes nas fezes.

  importante a observação do proprietário para relatar ao médico veterinário o tipo de verme encontrado, para um bom diagnóstico e tratamento adequado. Existem vermes redondos, achatados, e vermes que soltam proglotes parecidas com sementes de pepino ou grãos de arroz.

Tratamento:

Deve ser sempre  prescrito por um médico veterinário a fim de  se ter o melhor controle, pois  cada  paciente é tratado com base no seu ambiente e na sua rotina.

Existem no mercado  diversas  formas de controle,  desde pipetas, comprimidos, líquidos, até  injeções.

Nunca pratique  o ato de medicar  por conta própria, pois apenas o médico veterinário é o profissional responsável pela  boa  saúde dos seus filhos de pelo.

Dr. Tanure A.M.

Médico veterinário | CRMV-ES 1337